Ataque contra igreja mata fiéis e pastor em Burkina Faso

Cultos-em-Burkina-Faso

Um ataque contra uma igreja em Burkina Faso, país africano que é vítima frequente de ataques jihadistas, deixou cinco mortos no domingo em Silgadji, a 60 km de Djibo, capital da província de Soum, na região norte, informaram as forças de segurança.

“Indivíduos armados não identificados atacaram a igreja protestante de Silgadji. Eles mataram quatro fiéis e o principal pastor. Ao menos duas pessoas continuam desaparecidas”, afirmou uma fonte das forças de segurança à AFP.

Este foi o primeiro ataque contra uma igreja desde 2015.

“O ataque aconteceu às 13H00, quando os fiéis deixavam a igreja ao final do culto”, afirmou à AFP um membro da comunidade que pediu anonimato.

“Os criminosos estavam a bordo de motocicletas. Atiraram para o alto antes de apontar contra os fiéis”, explicou a mesma fonte.

Há quatro anos, Burkina Faso é cenário de ataques cada vez mais violentos e frequentes, atribuídos a grupos jihadistas, entre eles o Ansarul Islam, o Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos e o Estado Islâmico no Grande Saara.

Os ataques se limitavam ao norte do país, mas depois começaram a atingir a capital e outras regiões, em particular o leste. Desde 2015, quase 350 pessoas morreram em atentados.

Na sexta-feira, seis pessoas, incluindo cinco professores, foram assassinadas em Maitaougou, cidade da província de Koulpelogo, leste do país.

Os ataques têm como alvos frequentes líderes religiosos, principalmente na região norte de Burkina Faso.

Fonte AFP via Gaucha ZH

Comente no Facebook